Politica

Ontem o programa Fantástico, da Rede Globo, divulgou novos vídeos e áudios da Operação ‘Pés de Barro’, que apura o pagamento de propina e desvios em obras da Adutora Capivara, no Sertão do Estado. Parte dos recursos de serviços que deveriam melhorar a vida de populações de 11 cidades paraibanas teria sido desviada para o pagamento de R$ 1,6 milhão em propinas, com o deputado federal Wilson Santiago (PTB) e o prefeito de Uiraúna, João Bosco Fernandes (PSDB) como destinatários – de acordo com a Polícia Federal. Um escândalo que ameaça o andamento de uma obra que levaria água para as torneiras de milhares de sertanejos.

Ao longo da semana, vídeos e áudios da ‘Operação Calvário’ têm revelado desvios milionários de contratos da Saúde e da Educação paraibana. São relatos que apontam para a retirada maciça de recursos de setores essenciais. Um verdadeiro atentado contra a dignidade e a vida de milhares de pacientes que têm nos serviços do Sistema Único de Saúde (SUS) a única esperança de sobrevivência.

No caso da ‘Pés de Barro’, a investigação possui vídeos que comprovariam a entrega do dinheiro a pessoas próximas a Wilson Santiago e, até mesmo, ao próprio prefeito João Bosco, flagrado colocando recursos na cueca. Ao preço de R$ 24,8 milhões, a obra da Adutora de Capivara deveria ter sido concluída em junho do ano passado. Mas, mesmo com R$ 17 milhões já liberados, pouca coisa foi executada.

Assista aqui a matéria do Fantástico sobre a Operação ‘Pés de Barro’

Outro lado:

A defesa do deputado Wilson Santiago afirma que ele nunca recebeu propina e que não tem conhecimento de que seus assessores tenham recebido. “O deputado tem total interesse no esclarecimento desses fatos até para que ele possa comprovar a sua inocência”, declarou Luís Henrique Machado, advogado do parlamentar.

Em nota, os advogados de George Ramalho disseram que o empresário resolveu “colaborar com a justiça para corrigir condutas avaliadas como ilícitas”. George também aguarda o processo em liberdade. Já o prefeito João Bosco Fernandes está preso há três semanas e se licenciou do cargo. O vice-prefeito, que é sobrinho de Wilson Santiago, assumiu o cargo. A defesa do prefeito informou que só se manifestará após conhecimento e análise dos conhecimentos da denúncia.

 

Por jornaldaparaiba.com.br

Compartilhe: