Brasil

Investir tempo e recurso financeiro para o período exige cautela e planejamento

Festa popular de forte tradição no Nordeste, o São João aquece diversos setores econômicos e traz oportunidades para quem precisa de renda extra ao longo deste mês. Dentre elas, a venda de comidas típicas, carro-chefe dos festejos juninos. No Nordeste, por exemplo, os tradicionais pratinhos são a escolha de muitos empreendedores temporários.

Todavia, investir tempo e recurso financeiro para o período exige cautela. A educadora financeira Juliana Barbosa orienta ter atenção à demanda sazonal dos ingredientes para evitar prejuízos. Para se ter ideia, nesta mesma época em 2022, os itens da cesta junina subiram até 86%, segundo pesquisa.

Todavia, investir tempo e recurso financeiro para o período exige cautela. A educadora financeira Juliana Barbosa orienta ter atenção à demanda sazonal dos ingredientes para evitar prejuízos. Para se ter ideia, nesta mesma época em 2022, os itens da cesta junina subiram até 86%, segundo pesquisa.

Portanto, o ideal é avaliar um estoque de antecipação. Outro planejamento crucial é colocar na ponta do lápis todos gastos (diretos e indiretos) embutidos no processo produtivo para estabelecer uma precificação que assegure o lucro.

Conforme a economista, devem ser consideradas as seguintes despesas: insumos, itens descartáveis, energia elétrica, gás, água, formas de divulgação, mão de obra e transporte.

Para se planejar, comece pesquisando os preços. Para isso, a utilizar a internet ajuda muito e ainda economiza tempo. Outro ponto é antecipar as compras para não deixar para última hora, quando os valores aumentam substancialmente”, lista.

Portanto, o ideal é avaliar um estoque de antecipação. Outro planejamento crucial é colocar na ponta do lápis todos gastos (diretos e indiretos) embutidos no processo produtivo para estabelecer uma precificação que assegure o lucro.

Conforme a economista, devem ser consideradas as seguintes despesas: insumos, itens descartáveis, energia elétrica, gás, água, formas de divulgação, mão de obra e transporte.

Para se planejar, comece pesquisando os preços. Para isso, a utilizar a internet ajuda muito e ainda economiza tempo. Outro ponto é antecipar as compras para não deixar para última hora, quando os valores aumentam substancialmente”, lista.

Portanto, o ideal é avaliar um estoque de antecipação. Outro planejamento crucial é colocar na ponta do lápis todos gastos (diretos e indiretos) embutidos no processo produtivo para estabelecer uma precificação que assegure o lucro

Conforme a economista, devem ser consideradas as seguintes despesas: insumos, itens descartáveis, energia elétrica, gás, água, formas de divulgação, mão de obra e transporte.

Para se planejar, comece pesquisando os preços. Para isso, a utilizar a internet ajuda muito e ainda economiza tempo. Outro ponto é antecipar as compras para não deixar para última hora, quando os valores aumentam substancialmente”, lista.

Também é crucial saber se haverá a possibilidade de comercialização nos locais desejados para viabilizar o negócio, além do público.

Vale a pena lembrar do custo com divulgação, podendo ser cartazes e card em redes sociais. Além disso, estude o mercado, seja o próprio condomínio ou a vizinhança onde mora. Assim, você entenderá se há demanda e se as pessoas estarão dispostas a comprar”, observa.  

VEJA O PASSO A PASSO PARA DEFINIR O PREÇO

A cozinheira e instrutora de Gastronomia do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac-CE), Fernanda Luna, acrescenta ser fundamental decidir quais produtos serão feitos e as receitas a serem utilizadas.

Algo muito importante quando tratamos da venda de alimentos de maneira comercial é a questão da padronização. Quando faço a comida na minha casa, posso mudar um tempero, colocar mais pimenta no vatapá”, exemplifica.

Porém, quando comercializo, preciso manter o padrão para o cliente que experimentou numa festa e encomendou para levar para a casa da família sentir o sabor daquela primeira vez”, destaca.

O passo a passo, portanto, é:

Defina o produto e o padrão;

Some todos os custos fixos, com ingredientes, embalagens e mão de obra;

Defina o valor de vendas baseado no custo, no público e no preço de mercado.

Após a definição do preparo, é realizada a listagem dos componentes para a porção determinada. Ou seja, se a meta é vender 100 pratinhos por dia, é preciso calcular o quantitativo da matéria-prima para produzi-los.

a planilha de gastos], não se pode desconsiderar nem os insumos menores, incluindo o sal, o óleo e a pimenta, porque todos vão contar no custo da receita. Na gastronomia, trabalhamos com uma margem de ingredientes em torno de 30% a 35%, ou seja, um terço do seu preço de venda deve ser para essas compras”, aponta Fernanda Luna, Cozinheira e instrutora de Gastronomia do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac-CE)

[BANNER]

Por exemplo, se os insumos para produzir um pratinho custam R$ 5, multiplique esse valor por três. Neste caso, você venderá cada por R$ 15. Desse total, portanto, serão retirados os R$ 5 para pagar os ingredientes. O restante será para custear a mão de obra e as demais despesas fixas.

Quando a precificação estiver estabelecida, é necessário pesquisar se as pessoas estão dispostas a pagar essa cifra pelo produto, podendo elevar ou baixar o lucro conforme o levantamento, mas garantindo a cobertura de todos os desembolsos.

Além de um terço dos ingredientes sobre o valor final, parte da composição para a precificação também deverá englobar os custos fixos: energia, gás, água, papel toalha, itens descartáveis, materiais de limpeza e a mão de obra.

[BANNER]

O lucro é o resultado de toda essa atividade, é o que sobra depois de você ter pagado tudo, incluindo a sua remuneração”, enfatiza.

O que colocar na planilha:

Custo total dos ingredientes;

Custo total dos itens descartáveis (pratos, copos, talheres, guardanapos etc);

Custos fixos com água, gás, material de limpeza, energia.

COMO ECONOMIZAR NOS PRODUTOS PARA FABRICAR OS PRATINHOS?

A cozinheira e instrutora de Gastronomia do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac-CE), Fernanda Luana, frisa a importância de avaliar a qualidade e o rendimento dos produtos.

É mais interessante fazer um vatapá de frango ou de peixe? Qual quantidade vai render e trazer mais retorno? Qual o tipo de arroz usar? Às vezes, uma mudança para uma marca mais cara pode trazer mais benefícios devido ao rendimento”, enumera.

Outro exemplo é analisar se compensa comprar ou não o frango desossado para otimizar a eficiência na produção e o aproveitamento do alimento.

Começar a se organizar com antecedência também é importante. Quem for trabalhar com doces, pode procurar promoções de leite condensado. Então, já vai identificado essas oportunidades para ir se preparando para o momento de utilizar os itens”, pontua. 

Pesquise preços em feiras, supermercados e atacarejos;

Fique de olho nas promoções para fazer estoque dos itens necessários;

Avalia o rendimento dos produtos escolhidos.

Diário do Nordeste

Compartilhe: